Início > Transporte Público, Turismo > O Metrô como você nunca viu

O Metrô como você nunca viu

O programa TurisMetrô leva o visitante a viajar na história da cidade de São Paulo

 

Nos arredores das estações de Metrô de São Paulo estão lugares que são ou foram símbolos da vida política, econômica e cultural não só da cidade como do país. Para desvendá-los, uma iniciativa do Governo Estadual e da São Paulo Turismo (SPTuris) propõe roteiros que aproximam o visitante da história.  São monumentos,  prédios, praças e ruas que são verdadeiros  marcos.  É o programa TurisMetrô que existe desde 2005.

A nossa reportagem acompanhou o Roteiro 1 – Sé.  A guia turística Jaqueline Dias ajuda na organização dos visitantes, garantindo que todos participem integralmente do trajeto.  Já a guia Normelia Brito Nascimento é a responsável pela apresentação de todo o programa. Ela conta, nos mínimos detalhes todas os fatos e curiosidades que vão aparecendo durante o percurso. Antes de iniciar,  é apresentado o programa e informações técnicas do Metrô. Logo em seguida, Normelia nos apresenta as obras de arte que estão localizadas na própria Estação Sé. A primeira é a escultura do artista mineiro Alfredo Ceschiatti, intitulada de “Sem Título” encontrada no Mezanino da Estação. Antes de embarcar no Metrô com destino a estação São Bento, na área de Embarque, encontramos mais uma obra, desta vez o mural “Como sempre esteve, o amanhã está em nossas mãos” que retrata a violência sofrida pelos povos antigos, foi pintado pelo do artista plástico muralista Mário Gruber.

Embarcamos no primeiro vagão em destino a estação São Bento. O Roteiro da Sé ainda visita o Colégio São Bento, a região da Rua 15 de Novembro, Rua do Comércio, Centro Cultural do Banco do Brasil e o da Caixa, além de edifícios históricos da cidade, como o Martinelli e o Banespa. No Pateo do Colégio, há intervenção teatral (que acontece em todos os roteiros). No nosso caso uma atriz interpreta a empregada da Marquesa de Santos que conta os “causos” da “patroa”.  A casa da Marquesa de Santos, conhecido como Solar da Marquesa, está em reforma e faz parte deste roteiro. No meio do trajeto, além de toda a efervescência de conhecimento, encontramos mendigos e a sujeira pelas ruas do Centro. “Eles têm comportamentos diferentes, alguns tentam chamar a atenção, dispersando a atenção dos visitantes, outros ajudam saindo de perto dos prédios quando notam a nossa presença”, exalta a guia Jaqueline, sobre os mendigos. Outro entrave da cidade que atrapalha o passeio, é a falta de sinalização de trânsito em uma das ruas que levam à Praça da Sé, não tem faixa de pedestre, o que dificultou a travessia da reportagem e dos visitantes, já que tínhamos que esperar os carros e ônibus pararem para atravessarmos com segurança.

Apesar de ter mais de 6 anos de existência, o TurisMetrô ainda não tem grande adesão da população, apesar da propaganda diária na TV do Metrô e nas estações de toda a rede. “São poucos, os que conhecem o programa”, afirma a guia Normelia Nascimento. “Cerca de 60% dos

participantes do programa são turistas e os outros 40% estudantes e pessoas comuns. Já no período entre Novembro e Fevereiro, o programa atende quase exclusivamente os turistas e grande parte destes, são estrangeiros buscando conhecer a história da cidade de São Paulo” completa Normelia.

IMPRESSÕES DOS VISITANTES

A professora da Escola de Arte do Museu Brasileiro de Escultura (MUBE), Maria Cristina Caponero,  relata que conheceu o programa através do site do Metrô e está participando para aperfeiçoar seu repertório, já que tem especialização na área de Patrimônio Público Histórico pela Universidade de São Paulo (USP). Assim como ela, outro participante do programa, Bruno Fernandes, estudante de Engenharia de Materiais da USP, também foi para aprimorar os conhecimentos em patrimônio público já que pretende fazer especialização na área de Arquitetura.

Já o analista de suporte, Olavo Rodrigues Xaves, avalia que o projeto é bom, mas têm pontos que devem ser revistos. “Acho que o roteiro deveria ter uma duração maior, para aproveitarmos melhor todo o conteúdo que os pontos turísticos e obras podem nos dar. Foi muito corrido”, reclama. O trajeto tem duração de 3 horas.

COMO PARTICIPAR

Para usufruir do passeio,  o usuário paga, dependendo do roteiro,  entre 1 e 2 bilhetes, o unitário  custa R$ 2,90 (estudante paga metade do valor se possuir Bilhete Único Escolar). O programa é composto por 5 diferentes roteiros. Sé, Luz, Paulista, Teatro Municipal – Largo São Francisco e Memorial da América Latina. Funciona aos sábados  e domingos, em dois horários, às 09hs e às 14hs (Para conhecer o trajeto e a os horários de partida de cada um dos 5 roteiros, acesse o site http://www.spturis.com/turismetro).

Todos os roteiros partem da Estação Sé do Metrô, próximo das catracas, bem fácil de identificar o balcão da TurisMetrô.  É necessário chegar com pelo menos 30 minutos de antecedência para cadastro e organização dos roteiros pelas Guias Turísticas.

O projeto não sai em dias chuvosos e comporta no máximo 25 participantes por roteiro.

Por Guilherme Henrique de Oliveira

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: